15/02/2018

CAMPEÃO GAMBIANO DE LUTA LIVRE JÁ CUMPRE AGENDA EM ANGOLA

Leket, segundo a acontar da esquerda, no encontro com a Secretária de Estado para os Direitos Humanos


CAMPEÃO GAMBIANO DE LUTA LIVRE JÁ CUMPRE AGENDA EM ANGOLA

Lobito, 14/02/18
Depois de alguns constrangimentos no aeroporto 4 de Fevereiro, após a chegada de Bakary Jarju (Leket du Barra) a Angola, a convite da OMUNGA, o capitão da selecção gambiana de luta livre, já desenvolve as actividades agendadas.
A presença de Leket em Angola tem o propósito de dar o arranque de um programa de promoção e protecção dos direitos dos imigrantes em Angola, com um ênfase especial, para os imigrantes africanos da África Ocidental, a ser desenvolvido pela OMUNGA.
O referido programa que a OMUNGA pretende desenvolver deve, desde já, contemplar, pelo menos, duas linhas estratégicas fundamentais: 1 – Eliminar as barreiras da discriminação e 2 – Garantir o respeito pela dignidade humana de cada cidadão imigrante em Angola.
Dentro duma agenda bastante preenchida, Leket teve já contacto com jovens activistas angolanos, dentro da relaçao que a OMUNGA estabelece com os mesmos, onde se abordou a temática da migração e se discutiram ideias sobre estratégias e actividades que os joven angolanos se podem envolver e/ou comprometer para o estabelecimento de pontes com os jovens das comunidades imigrantes em Angola.
Leket teve ainda um encontro com cidadãos da comunidade de imigrantes da Gâmbia. Este encontro serviu para que o desportista gambiano pudesse ter contacto directo com a realidade vivida por esta comunidade em Angola.
Leket (ao centro) no encontro com membros da comunidade gambiana em Luanda

Já no dia de hoje (14/02/2018) Bakary participou num encontro com o Secretário de Estado para os Desportos, o antigo basquetebolista Carlos de Almeida. No encontro estiveram ainda presentes o Director Nacional dos Desportos, Nicolau Daniel e o Director do Instituto Angolano da Juventude (IAJ), Jofre dos Santos.
O encontro decorreu num clima bastante informal e cordial, onde foram apresentadas as intenções da OMUNGA no que se refere à utilização do desporto e da cultura enquanto veículo de integração e de comunicação entre os cidadãos de diferentes origens em Angola. Por parte da equipa da secretaria de Estado para o desporto houve uma enorme abertura e apresentação de sugestões e de possibilidades para o desenolvimento das actividades previstas.
Já no perído da tarde, ainda hoje, Leket participou de um encontro com a Secretária de Estado para os Direitos Humanos, Ana Celeste Cardos Januário e a sua equipa. Foi mais um encontro informal e bastante proveitoso. A secretária de Estado falou da importância de se desenvolverem programas de educação para a cidadania junto das comunidades de imigrantes em Angola que disponibilizem informações sobre os seus direitos e os diferentes procedimentos que possam garantir a protecçao desses direitos. Um dos aspectos abordados durante o encontro prende-se com a situação das crianças filhas de imigrantes que à partida a actual lei da nacionalidade angolana não reconhece-lhes o direito à nacionalidade angolana. Tal situação pode provocar que estas crianças vejam-se impedidas de ter acesso à educação e a outros serviços o que poderá contrariar a obrigação de todo e qualquer estado de garantir a protecção de toda e qualquer criança no seu espaço territorial. A Secretária esclareceu sobre as medidas que se estão a tomar nesse sentido e pediu a ampla divulgação desses mecanismos junto das comunidades imigrantes.
Amanhã, Bakary Jarju deslocar-se-á para Benguela onde irá também desenvolver uma série de actividades dentro da agenda organizada pela OMUNGA.
Bakary Jarju, mais conhecido na Gâmbia por Leket du Barra é o capitão da selecção de Luta Livre da Gâmbia e foi eleito o desportista gambiano do ano em 2013 e 2014.

08/02/2018

CAMPEÃO GAMBIANO DE LUTA LIVRE VIRÁ A ANGOLA


Lobito, 08 de Fevereiro de 2018
COMUNICADO
CAMPEÃO GAMBIANO DE LUTA LIVRE VIRÁ A ANGOLA

Pela presente vimos a informar que a partir de 11 de Fevereiro de 2018, estará em Angola o desportista gambiano, BAKARY JARJU (LEKET DU BARRA), a convite da associação OMUNGA.
A referida visita enquadra-se na iniciativa da OMUNGA de implementar um projecto que visa promover e proteger os direitos dos imigrantes em Angola.
Durante a referida visita, prevê-se encontros com entidades públicas angolanas, representações diplomáticas, instituições internacionais de Direitos Humanos, jornalistas e comunidades imigrantes.
DADOS BIOGRÁFICOS
NOME: BAKARY JARJU (LEKET DU BARRA)
DATA DE NASCIMENTO: 2/NOVEMBRO/1986
NACIONALIDADE: GAMBIANO
REFERÊNCIAS:
Iniciou a sua carreira de lutador em 2004, mas o seu primeiro combate como profissional teve lugar em 2009.
É lutador em diferentes categorias de luta livre, onde se destaca o estilo tradicional “Laamb”, estilo bastante reconhecido na África Ocidental e internacionalmente.
É capitão da seleção gambiana de luta livre desde 2010. Representou a Gâmbia por 3 vezes no Níger, em Marrocos (1), na Índia (1) e 4 vezes no Senegal e foi enviado pela Gâmbia à Bélgica, como treinador.
Venceu 7 medalhas nos torneios internacionais e venceu todos os 8 torneios regionais realizados na Gâmbia.
Venceu ainda 8 combates organizados por entidades privadas na Gâmbia e Senegal.
Foi ainda considerado o desportista gambiano dos anos 2013 e 2014.

Para mais informações e/ou esclarecimentos, contactar para (BGA)925 690 207/(LDA)934 730  489 


27/01/2018

OMUNGA EXIGE RESPEITO PELO DIREITO À MANIFESTAÇÃO


TOMADA DE POSIÇÃO
OMUNGA EXIGE RESPEITO PELO DIREITO À MANIFESTAÇÃO
Lobito, 27/01/2018
Foi com enorme preocupação que a OMUNGA acompanhou pelas redes sociais, a repressão policial contra a marcha organizada em Luanda, a 26 de Janeiro de 2018, de repúdio às cobranças nas escolas (gasosa).
Ainda de acordo às informações, os organizadores deram a conhecer ao Governo Provincial de Luanda (GPL) sobre a intenção da realização da referida marcha de protesto, cumprindo todos os pressupostos da lei.
Não houve qualquer apresentação de razões para impedimento, por parte do GPL.
As informações postas a circular descrevem que a referida manifestação decorria normalmente sem qualquer violência até que a polícia nacional decidiu atacar a mesma usando a unidade canida. Para além da violência, consta ter havido a detenção de alguns dos manifestantes, embora tenham sido libertos horas mais tarde.
Já a 22 de Janeiro, “vários candidatos do Instituto Médio de Saúde (IMS) protestaram contra as cobranças e a falta de escassez de vagas naquela instituição.”
A OMUNGA está a acompanhar a situação do acesso às escolas primárias públicas a nível da cidade do Lobito e está alarmada com o facto de que as cobranças nas escolas seja um dos principais impedimento do acesso das crianças à educação. Junta-se a isso outros factores como a falta de documentos pessoais (das crianças e dos encarregados de educação), da falta de escolas e de professores.
Por isso, aproveita esta oportunidade para apresentar publicamente o seu descontentamento referente ao orçamento apresentado no OGE 2018 para o sector da educação e solicita à Assembleia Nacional (AN) que não permita a sua aprovação nos moldes agora aprovados na generalidade..
A OMUNGA está bastante apreensiva e preocupada tanto com o exercício do direito à educação como em relação ao exercício do direito à manifestação, enquanto instrumento legítimo de protesto, considerando de vergonhoso este comportamento policial e exige do GPL o respeito estrito pelo exercício do direito à manifestação consagrado na Constituição de Angola e demais legislação.

José A. M. Patrocínio


Director Executivo


20/01/2018

ENTENDER PROCESSO MANUEL VICENTE NO SISTEMA JUDICIÁRIO EM PORTUGAL


ENTENDER PROCESSO MANUEL VICENTE NO SISTEMA JUDICIÁRIO EM PORTUGAL
Lobito, 20 de Janeiro de 2018

Está para breve o início do julgamento em Portugal do processo que tem como arguído, o Procurador-geral Adjunto português, Paulo Gonçalves e onde recaiem também suspeitas e acusações contra o cidadão angolano Manuel Vicente, enquanto Presidente do Conselho de Administração da Sonangol.

Muita tinta tem corrido e possivelmente muita mais ainda vai correr. È partilhado pelas redes sociais do encontro informal, nestes últimos dias, entre Ana Dias Lourenço e o Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa.

De acordo ao jurista Benja Satula, no programa JOÃO 2 PONTOS, aborda precisamente sobre os contornos jurídico legais deste processo.

Fica claro que, de acordo ao jurísta, houve um mau encaminhamento por parte do Estado de Angola, quer por possível má interpretação dos acordos bilaterais (Portugal e Angola) e multilateral (CPLP) o que é traduzida na falta de colaboração por parte da Procuradoria-geral de Angola, demonstrando a impossibilidade de encaminhamento a MV, da notificação, argumentando que o mesmo beneficiaria de imunidade e que por outro lado estaria abrangido pela amnistia de 2015.

Por outro lado, Benja Satula critica também o facto de que, por parte de Angola, não esteja envolvido unicamente a Procuradoria-geral da República e que o caso esteja a ser por órgãos executivos, nomeadamente o Presidente da República de Angola. Para o jurista, isto demonstra, ou pode dar a ideia, de que realmente o nosso sistema de justiça não demonstra a necessária capacidade do nosso sitema de justiça.

O jurista garante ainda que não existe qualquer obrigação por parte do judiciário português enviar o processo ara Angola.

Tomando em conta a importância desta entrevista, acompanhe aqui na íntegra.

10/12/2017

DIREITOS HUMANOS EM ANGOLA: "AINDA UM CAMINHO A PERCORRER"


Hoje (10.12.2017) comemora-se mais um aniversário do Dia Internacional dos Direitos Humanos. A OMUNGA, conjuntamente com a ADRA, AJS, CRB, MRB e OHI, organizam uma marcha em Benguela, com a concentração às 14 horas no Liceu Cte. Kassanji e o seu término no Largo de África onde se vai realizar um espectáculo musical.

Em alusão á data, a OMUNGA conversou com a Célia Wandi Sapalo, da ADRA, que falou-nos sobre os Direitos Humanos em especial em Angola.

08/12/2017

ABUSO E VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA FOI CONVERSA NA ESCOLA MUTU YA KEVELA


ABUSO E VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA FOI CONVERSA NA ESCOLA MUTU YA KEVELA
Lobito, 08.12.2017

Durante a campanha de “19 dias de activismo para prevenção e combate ao abuso e violência contra a criança”, a OMUNGA realizou um encontro com alunos, professores e encarregados de educação das escoals Mutu ya Kevela (Bº da Luz) e do Bº do Ngolo D’areia para além da comunidade do 16 de Junho.

Estiveram presentes 62 alunos, 8 professores e 12 encarregados de educação. Orientou o encontro Branca Priscinda Albino Malengue.


Depois da palestra, fez-se a entrega de declarações aos alunos que frequentaram a oficina de jornalismo, promovida pela OMUNGA, de Março a Novembro de 2017.

07/12/2017

EM ANGOLA OS DIREITOS HUMANOS DEIXARAM DE SER UMA REGRA



Em véspera de mais um aniversário do Dia Internacional dos Direitos Humanos, a ter lugar a 10 de Dezembro, dentro das suas actividades, a OMUNGA irá entrevistar diferentes entidades em relação à data e à situação dos Direitos Humanos em Angola, desafios e expectativas. 


Aqui a entrevista de Adilson Chissapa Savite, professor universitário.