17/08/2015

MARCOS MAVUNGO CONTINUA PRESO À ESPERA DE JULGAMENTO EM CABINDA



A OMUNGA recebeu hoje uma carta do activista José Marcos Mavungo, detido em Cabinda desde 14 de Março de 2015. O seu advogado Francisco Luemba em entrevista prestada à RFI, a 14 de Agosto de 2015, declarou. "Posso dizer que ele continua em prisão preventiva já não na fase instrutória. Espero, sinceramente, que no decorrer da próxima semana nós possamos ser notificados tendo em conta os prazos e tendo em conta a sua situação cadastral - ele está detido e acho que o julgamento deve iniciar-se ainda no decorrer deste mês." 

Ao companheiro Mavungo expressamos toda a nossa solidariedade e o nosso reconhecimento pela sua coragem e dedicação à causa dos Direitos Humanos. Estamos juntos!

Eis o teor da carta:

José Marcos Mavungo
Cadeia Civil de Cabinda
Cabinda

Ao amigo e Senhor
José Martins Patrocínio
Coordenador da OMUNGA
Benguela

Cabinda, 28 de Julho de 2015
Caro Zetó

Muito grato pela iniciativa de 23 de Julho de 2015 das Quintas de Debates sobre o tema relacionado a Cabinda. Apraz-me muito saber que se interessa por uma solução justa para a delicada "Questão de Cabinda".

O empenho da Omunga por uma paz duradoira para Cabinda dão-nos forças renovadas para enfrentar os momentos difíceis por que estamos a passar na luta pela mudança do actual figurino sócio-político e jurídico herdado duma descolonização desastrosa. Trata-se de um apoio moral que muito reforça os nossos humildes esforços no sentido de se estabelecer uma paz para Cabinda fundada na Justiça e Dignidade dos povos.

A minha saúde não conheceu melhorias substanciais. Porém, continuo confiante no Deus da misericórdia que vou viver para celebrar o reino da Justiça nestas terras de Cabinda. Peço aos activistas sociais de Benguela que continuem a incluir-me nas suas orações.

Subscrevo-me com os melhores cumprimentos a todos os meus irmãos e amigos de Benguela e aquele abraço fraternal.

Deste vosso e sempre
J. M. Mavungo

Podem ainda acompanhar





1 comentário:

osvaldo gomes disse...

Ao mano, quero apenas dizer que esses dias encarcerado não serão em vão. A Luta contra é grande mas a vitória é eminente